Conteúdo e Mídia

Mensagens

Ao longo deste mês de comemorações do nosso aniversário, meditamos a Igreja Presente na família, na amizade, na cidade e, hoje, no mundo. Nasce a pergunta: Para que Jesus estabeleceu sua Igreja no mundo? Pelo menos para quatro grandes motivos: para modelo, consolo, alegria e esperança.

Para modelo. Vivemos dias desafiadores como Igreja em meio a um mundo caído (1 João 5.19). O próprio Cristo nos alertou que passaríamos por aflições por aqui: No mundo passais aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (João 16.33). Ainda assim, a Bíblia nos instrui que fomos chamados para sermos referência e modelo. Afinal, como fazer isso? Assim como o apóstolo Paulo instruiu seu amado discípulo Timóteo, somos ensinados, como igreja, para sermos modelo: na maneira de agir, no amor, na fé, e na pureza (1 Timóteo 4.12).

Para consolo. Ao escrever aos coríntios, aprendemos com o Apóstolo Paulo a respeito de um coração super sensível à dor do outro. Ele nos ensina sobre a necessidade de nos consolarmos mutuamente. O Senhor é a fonte do consolo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação. Na realidade, em meio às aflições, somos encorajados a consolar quem está por perto com o mesmo consolo que recebemos do alto (2 Coríntios 1.3-7). Assunto pertinente e necessário para os nossos dias. Vamos ver de que forma isso pode acontecer na prática, sendo igreja presente no mundo por meio do consolo.

Para alegria. Quando a Igreja se fez presente em Samaria: Houve grande alegria naquela cidade! (Atos 8.8).  Isso já tinha acontecido em Jerusalém, passaria por toda a Judeia e alcançaria os confins da terra. Nós somos os confins da terra alcançados por essa alegria. De fato, o reino de Deus é feito de alegria (Romanos 14.17). O ambiente do céu é de alegria e quando o céu desce à terra traz consigo essa alegria. E não é qualquer uma, mas do tipo de alegria pura, verdadeira, inquebrável, irresistível, contagiante, invencível. Veremos que essa alegria que vem do alto nos enxerga diferente, instala-se em nós e manifesta-se por meio de nós.

Para esperança. A ordem de Jesus aos seus discípulos, momentos antes de seu retorno para o céu (Marcos 16.15), revela três aspectos da esperança em relação à Igreja. Esperança de mobilização (ide); Esperança de evangelização (pregai); Esperança de salvação (criatura). Vamos perceber como a igreja (corpo) tem levado esperança ao mundo, e sermos desafiados como igreja (indivíduo) a cooperar com a transformação de inimigos (criaturas) em amigos de Deus (filhos).

A Igreja é presente ao mundo, pois é dádiva; é presente, pois é aqui; é presente, pois é agora.  Sempre que a Igreja refletir Jesus em plenitude cumprirá sua função no mundo de ser fonte de modelo, consolo, alegria e esperança. Cumpramos, como igreja, todo o propósito a que fomos instituídos pelo Senhor.

Daniel Zemuner, Gilberto Jefferson das Dores, João Pedro Martins Oliveira e Rodolfo Montosa

Igreja IPI