Conteúdo e Mídia

Notícias

Então, disse o rei aos seus homens: Não sabeis que, hoje, caiu em Israel um príncipe e um grande homem? (2 Samuel 3.38).

Após o falecimento da minha mãe, logo lembrei-me dessa passagem bíblica.

E depois de ler tantas mensagens, receber diversas palavras de alento, escutar áudios de inúmeras pessoas queridas, tenho a firme convicção de que, ontem (dia 12 de outubro), realmente caiu um pilar, uma coluna da nossa igreja.

Avani era uma princesa do Senhor, uma mulher singular. Impossível não reconhecer agora, neste até breve, algumas das qualidades dela: esposa idônea, mãe intercessora, sogra querida, avó amável, amiga sincera. Obediente a Deus, orava de contínuo, se engajava com ardor na causa missionária, era leitora contumaz da Bíblia Sagrada.

Foi professora da Escola Dominical de dezenas de pessoas, hoje adultas e que aqui estão.

Tinha inúmeros predicados. E o tempo naturalmente não me permite elencá-los todos. Se eu pudesse destacar um apenas, eu diria que a lealdade, a altruísta dedicação ao ministério do marido, ao longo de décadas, foi o principal.

Messias era o palco, Avani era os bastidores. Messias era a voz, Avani era a oração silenciosa. Messias era os holofotes, as luzes, Avani era o sinônimo da discrição. E assim caminharam, entre namoro, noivado e casamento, durante cerca de 63 anos. Uma linda trajetória que fica como exemplo para tantos.

Ontem de manhã a família teve a oportunidade da despedida. Palavras de amor para alguém inconsciente, orações feitas do fundo da alma, derradeiros afagos.

O corpo da minha mãe, tão combalido após 35 dias de hospital, sendo 29 de UTI, 14 de intubação, outros 14 de traqueostomia, finalmente sucumbiu.

O que nos conforta é saber que ela não morreu, mas passou da morte para a vida. Como meu pai bem nos lembrou: Sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos da parte de Deus um edifício, casa não feita por mãos, eterna, nos céus (2 Coríntios 5.1).

Avani, aqui, era peregrina. Nossa pequena gigante foi, então, para sua verdadeira pátria. Nós, como família, estamos entristecidos, mas não abatidos. Além de especialmente gratos a todos. Foi incrível a rede de orações que se formou, o sem-número de pessoas que nos apoiaram, os diversos gestos de amor cristão. Realmente, não temos palavras para expressar nosso reconhecimento a tantos irmãos, amigos, conhecidos e anônimos.

Mãe, há três semanas eu escrevi um texto dizendo que a gente aguardava a senhora do lado de fora do hospital. Mas a senhora não saiu para prosseguir conosco. Subiu e foi estar com Cristo nos céus, algo infinitamente melhor.

Ficamos aqui, consternados. Não consegui sequer te dar uma última orquídea, o Júnior ficará sem aquele arroz-doce que a senhora sempre preparava para família dele, a Priscila não te ajudará a arrumar a mala da tão esperada última viagem a Israel, o pai não mais terá a fiel companheira diária de oração.

Aprouve a Deus te levar. Sendo assim, só nos resta aproveitar o legado que a senhora deixou e ter em mente o que a senhora diria se estivesse em nosso lugar: “EM TUDO, DAI GRAÇAS!”

João Marcos Rosa

_________________________________________

Tetélestai

Disse Jesus: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito (João 19.30).

Muitas são as memórias que guardo da nossa amada Dona Avani: ainda criança, lembro-me das histórias bíblicas que ela contava usando o flanelógrafo; tive o privilégio de ser seu aluninho da escola dominical. Sou testemunha da esposa sempre carinhosa com seu amado marido, a mãe sempre cuidadosa com cada um dos filhos. Sua casa sempre estava “um brinco”. A comidinha na hora certa e uma delícia. Tudo habitualmente feito com muito amor. Sua disposição para viver era marcante. Amava mostrar as fotos que tirava das plantas, arranjos, pessoas, pássaros, céu, mar e tudo o mais. Tinha em seus lábios palavras de ânimo. Estava de bem com a vida em todo o tempo, pois estava de bem com o autor da vida.

Dona Avani ama a Jesus acima de tudo e de todos. Sua vida de oração foi uma marca inesquecível. Juntamente com o Pr. Messias, com alguma outra amiga, ou mesmo sozinha, tinha grande prazer em estar sempre juntinha do Pai, acompanhando Jesus e o Espírito Santo em suas intercessões. Tornou-se intercessora de pessoas, famílias, causas e nações. Percorreu todos os países do mundo inúmeras vezes por intermédio de suas orações. Sua intercessão era contínua, perseverante, intensa e amorosa. Fico até constrangido em me lembrar das incontáveis vezes que ela me disse: “pastor, estou orando por você”. Como isso me trazia segurança. Ela amava distribuir bilhetinhos com textos bíblicos e palavras de fortalecimento. Não tem como não levantar as mãos aos céus e agradecer a Deus: muito obrigado pela vida da Dona Avani!

De tantas palavras que ela amava, quero dar destaque esta: Tetélestai, que significa “está consumado”. Foi a última expressão de Jesus antes de sua morte. Como a Dona Avani gostava dessa palavra. Muitos aqui são testemunhas disso.

Jesus não bradou: “Estou acabado!” Ao contrário, declarou: Está consumado! Tetélestai é a palavra grega que significa: tudo está consumado, completamente pago, totalmente quitado, perfeitamente finalizado, concluído, realizado, completado, cumprido, performado, concretizado, feito, pronto. É expressão contundente de triunfo e exultação de Jesus em seu último fôlego de vida: todas as profecias foram cumpridas, toda a lei foi satisfeita, todos os pecados foram perdoados, a redenção foi por completo concluída, o inimigo foi totalmente derrotado, a morte foi cabalmente vencida e o reino de Deus foi perfeitamente implantado!

Dona Avani ficava muito alegre quando pronunciava tetélestai. Seus olhos brilhavam, seu coração acelerava, seu sorriso se alargava: tetélestai. Sabia com todo o seu ser o quanto Jesus tinha feito tudo de maneira completa. Tetélestai, todos os pecados de Avani foram perdoados! Tetélestai, a redenção de Avani foi por completo concluída! Tetélestai, o inimigo da Avani foi totalmente derrotado! Tetélestai, a morte de Avani foi cabalmente vencida! Tetélestai, hoje Avani experimenta o poder da ressurreição! Tetélestai, não há mais enfermidade, nem tristeza, nem cansaço, nem lágrimas! Tetélestai, hoje Avani tem seu corpo glorificado! Tetélestai, hoje Avani adentra os céus para todo o sempre! Tetélestai, Avani completou com louvor seus dias conosco, exalou o bom perfume de Cristo, espalhou rastros do zelo pelas coisas de Deus, deixou legado de intercessora. Tetélestai, Avani combateu o bom combate, completou a carreira, guardou a fé!

Tetélestai, tudo está consumado na vida de Avani. E na sua vida, como será o desfecho? Assim como Jesus, assim como Avani, que possamos dizer em nosso último suspiro: Tetélestai, está consumado!

Rodolfo Montosa | por ocasião do Culto Fúnebre de Avani Garcia Rosa | 13 de outubro de 2021