Conteúdo e Mídia

Mensagens

Na Rocha

 

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha (Mateus 7.24 - NAA).

Jesus deixou claro que existem duas maneiras que podemos construir nossas casas: sobre a rocha, ouvindo e praticando suas palavras, ou sobre a areia, ouvindo-as, porém não as praticando. Disso dependerá se a casa ficará firme ou cairá diante das adversidades que se apresentam. Do Sermão da Montanha (capítulos 5 a 7 de Mateus), observam-se alguns contrastes bem claros que nos ajudarão a discernir o que é rocha e o que é areia. Vejamos alguns:

Indiferença a Jesus é areia; interesse em Jesus é rocha: Ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte. Ele se assentou e os seus discípulos se aproximaram dele. Então ele passou a ensiná-los (Mateus 5.1-2 - NAA). Todo o processo de construir nossa vida na rocha começa com nosso interesse, nossa atenção, nossa busca. Onde Jesus está é onde devemos querer estar. Onde está seu pensamento, sua opinião, seu sentimento, seu olhar, sua prioridade, sua agenda, sua palavra é onde devemos estar também. Indiferença às suas palavras é areia movediça que nos leva à morte.

Indiferença é areia; misericórdia é rocha: Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia (Mateus 5.7). Somos miseráveis à espera de misericórdia, alcançados pela misericórdia e destinados a exercer misericórdia.

Olhos secos são areia; choro é rocha: Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados (Mateus 5.4). Para nossa alegria, Jesus não teve os olhos secos, coração indiferente, atitude fria e distante. Chorou diante dos irmãos, diante do povo e diante do Pai. Porque ele chorou, há esperança para os que choram. Lágrimas de arrependimento serão consoladas pelo perdão. Lágrimas de luto serão consoladas pela ressurreição. Lágrimas da adversidade serão consoladas pela maturidade e confiança.

Fúria é areia; mansidão é rocha: Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra (Mateus 5.5). A mansidão de Jesus não o deixou em silêncio diante das injustiças, nem diante das lideranças religiosas em prol do reino de Deus e, quando precisou defender os interesses de seu Pai, virou a mesa dos cambistas no templo em Jerusalém (Marcos 11.15-19). Mansidão é rocha, portanto, quando alcançamos o equilíbrio de brandura com firmeza, sossego com determinação, tranquilidade com autoridade, serenidade com resolução.

Vamos, pois, plantar nossa vida sobre a rocha. Nada diferente disso.

Rev. Rodolfo Garcia Montosa